menu

Noticias

Cabo Verde premiado...
LITERACIA FINANCEIRA • 09-07-2019

Cabo Verde premiado pela CYFI pela promoção de acções de inc...

Cabo Verde foi o vencedor do prémio especial de reconhecimento do país recém-integrado na Global Money Week (GMW) durante a gala de Inclusão Global 2019, uma iniciativa da Child & Youth Finance Internacional (CYFI). “O vencedor do Prémio Especial de Reconhecimento Recém-chegado GMW 2019 é Cabo Verde – Banco de Cabo Verde, Associação para a Promoção da Educação Financeira (PROFIN), Bolsa de Valores de Cabo Verde (BVC), Associação de Jovens Economistas (AJECON)”, lê-se no site da CYFI.O presidente da PROFIN, o professor António Baptista explicou à Inforpress que esse prémio internacional é o resultado das acções promovidas no âmbito das celebrações da Global Money Week, realizado no mês de Março e que teve a liderança do Banco de Cabo Verde (BCV) e a execução da Profin e parceira da Bolsa de Valores e da AJECON.“Foi realizado um conjunto de actividades ao longo da semana. É uma actividade mundial e este ano, dado ao engajamento da Universidade de Cabo Verde e outros parceiros, nós tivemos uma ampla participação da sociedade e por causa desses resultados Cabo Verde foi reconhecido. Nós recebemos o primeiro prémio do países recém-ingressados nessas actividades”, explicou. “Portanto nós tivemos o reconhecimento pelo trabalho que foi realizado na área da inclusão financeira de crianças e jovens”, sustentou. Child & Youth Finance Internacional que é uma entidade internacional que trabalha com inclusão financeira de crianças e jovens que todos anos realiza Global Money Week (a semana global do dinheiro) e Cabo Verde aderiu ao projecto há dois anos, tendo este ano sido reconhecido com esse prémio internacional.https://www.globalmoneyweek.org/countries/163-cape-verde.htmlFonte: sapo.cv

CABO VERDE INVESTMEN...
ECONOMIA • 09-07-2019

CABO VERDE INVESTMENT FÓRUM MOBILIZA 1,5 MIL MILHÕES DE EURO...

O Vice-Primeiro-Ministro e Ministro das Finanças, Olavo Correia, anunciou hoje que o país conseguiu mobilizar 1,5 mil milhões de euros no fórum de investimentos privados na ilha do Sal, o triplo do montante previsto. "É um valor expressivo, 1,5 bilhões de euros (1,5 mil milhões de euros) concretizados de financiamentos para a economia cabo-verdiana nos domínios da saúde, turismo, transportes marítimos e aéreos, telecomunicações e formação profissional e investimento da nossa diáspora", avançou o governante, em declarações à Rádio de Cabo Verde (RCV), no final do Cabo Verde Investment Fórum (CVIF), que decorreu nos últimos três dias na ilha do Sal.   O objetivo do Governo cabo-verdiano era mobilizar 500 milhões de euros para investimentos privados no país.   "Penso que o mais importante deste Fórum é que há uma grande confiança na economia cabo-verdiana", salientou Olavo Correia, indicando que foram assinados contratos com investidores de vários países e que todas as ilhas do país serão contempladas com os investimentos.   "Cabo Verde não é nem pobre nem pequeno, Cabo Verde é um grande país, com uma grande ambição, há muita gente que acredita no nosso país e nós temos que criar as condições para concretizar projetos que são estruturantes para a nossa economia. Não podemos é continuar a fazer mais do mesmo", desafiou.   O Ministro das Finanças disse que os três dias de trabalho foram "interessantes", com um "resultado extraordinário" e que agora será seguido para que os acordos, protocolos e memorandos de entendimentos assinados possam ser concretizados.   Durante o Fórum, que envolveu mais de 400 participantes e teve mais de 100 encontros, o Ministro disse que os organizadores passaram uma "mensagem positiva" de Cabo Verde e do seu futuro.   "Nós confiamos em Cabo Verde e temos que fazer que outros confiam em Cabo Verde, para mudarmos a vida dos jovens, criando oportunidades para a juventude cabo-verdiana", disse.   Destacou a assinatura de um projeto para a construção de um hospital de raiz no país, com o objetivo de acabar com o transporte de doentes para outros países e para que os quadros e médicos da diáspora possam prestar serviço no arquipélago.   O pacote total de investimentos privados inclui ainda o Compacto Lusófono Específico, que Cabo Verde assinou durante o Fórum, com Portugal e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), no valor de 470 milhões de dólares.   Em dezembro, o Governo cabo-verdiano organizou um evento semelhante, mas de doadores, em Paris, França, tendo assinado acordos e protocolos no valor de 850 milhões de euros junto dos parceiros internacionais, para financiar o Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS).   O evento do Sal contou com a presença de várias delegações, entre elas uma missão empresarial portuguesa, liderada pela secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.   Além das conferências, o Fórum teve uma vasta programação cultural, com música, performances de carnaval, batucadeiras e exposições de artesanato.   Olavo Correia garantiu que o no próximo ano o país vai organizar um segundo fórum, que espera venha a ser "muito melhor".     Fonte: sapo.cv  

Fale Connosco

expand_less